pt +55 (48) 3039 1404 contato@apino.com.br

Saiba o que muda com as novas regras para bagagens

Saiba o que muda com as novas regras para bagagens
Avalie este post!

Em abril deste ano, a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) colocou em vigência novas regras para bagagens. Uma prática já utilizada em diversos países, a cobrança seletiva da franquia de bagagem despachada foi colocada em uso no Brasil somente a partir de junho.

Agora, todos continuam com o direito de uma franquia de 10 quilos na bagagem de mão, mas cada companhia aérea controla sua oferta para bagagens despachadas. A tradicional franquia gratuita de 23 quilos não existe mais em muitos casos. Tudo isso em nome do barateamento das passagens e adequação ao mercado.

Com essa mudança, cada companhia criou seu próprio método de oferecer os serviços de transporte de bagagem e, para entender melhor como isso funciona em cada uma delas, basta seguir a leitura. Todos a bordo?

Gol

Operando sob a nova legislação desde o dia 20 de junho, a Gol divide suas ofertas por meio das tarifas:

  • light: o cliente tem franquia de uma bagagem de mão de até 10 quilos. Para despachar um volume de até 23 quilos, existe uma taxa de 30 reais quando paga na internet ou de 60 reais no balcão do check-in;
  • programada e flexível: nessas tarifas, os clientes seguem com o direito da bagagem de mão de 10 quilos, mas também podem despachar até um volume de 23 quilos sem custo adicional. Volumes extras geram uma taxa do mesmo valor da tarifa Light.

Nos voos internacionais, a companhia cobrará 10 dólares pela taxa de despacho comprada nos meios digitais, e 20 dólares no balcão.

LATAM

Na companhia, os moldes são parecidos com os da Gol. Existe a opção para quem só precisa da bagagem de mão, a tarifa Promo, que não garante bagagem despachada e é mais barata.

Nas demais opções, a taxa para franquia de bagagem despachada de até 23 quilos varia:

  • franquia adquirida durante a compra da passagem: 30 reais o primeiro volume, 50 reais o segundo e 80 reais o terceiro e os demais;
  • na compra antecipada, mas depois de ter adquirido a passagem, o primeiro volume fica a 50 reais, o segundo a 80 reais e o terceiro e os demais a 100 reais;
  • já no aeroporto, fica um pouco mais salgado. A primeira franquia sai por 80 reais, a segunda por 110 reais e a terceira ou demais por 200 reais.

Voos internacionais possuem a franquia básica, um volume de até 23 quilos.

Azul

Primeira a colocar em prática a nova legislação, a Azul possui duas opções de tarifas: a tarifa Azul, mais barata, com bagagem de mão e que cobra 30 reais por bagagem despachada. E a tarifa Mais Azul, que mantém os preços praticados anteriormente com direito a franquia de até 23 quilos.

Avianca

A companhia criou um modelo semelhante e aderiu as novidades mais recentemente. Suas tarifas Economy e Flex dão direito a uma e duas peças de até 23 quilos no despacho, respectivamente. A tarifa Promo não dá esse direito e as taxas para despachar são de 30 reais até seis horas antes do voo. Depois ou no check-in, o valor é de 60 reais.

Ela oferece valores diferentes para voos na América Latina e nos Estados Unidos. Todos, no entanto, seguem com direito a bagagem de mão de até 10 quilos.

A ANAC também garantiu melhorias além das regras para bagagens. Houve mudanças nas políticas de cancelamento, remarcação de voo e reembolso. Os problemas de extravio de bagagem tiveram seus prazos de solução ajustados, com menos tempo de espera para o consumidor.

Agora que você está por dentro das mudanças, já está na hora de planejar sua próxima viagem!

E que tal ajudar os seus amigos a entenderem sobre as novas regras para bagagens? Basta compartilhar agora mesmo esse post nas suas redes sociais!

Inscreva-se

Viagens para eventos

Viagens de incentivo